Brilho nos olhos

No último post, eu sugeri que há uma relação entre a qualidade do software e o alinhamento dos colaboradores em relação aos valores da empresa.

Só para contextualizar quem começou por esse post e pulou o último:

O funcionário que concorda com os valores da empresa e acredita neles vai trabalhar mais motivado/feliz/interessado/engajado que outro colega que não está tão sintonizado assim nesses mesmos valores.

As pessoas formam o principal pilar para o sucesso, seguidas pelos processos e ferramentas, necessariamente nessa ordem.

Ora, isso não é garantia da qualidade, certo? Trata-se apenas de uma condição mais favorável para conseguir o nível de qualidade esperado.

Bem, quero continuar nessa linha e mencionar que a questão motivacional influencia brutalmente nos resultados. No entanto, motivação não vem apenas de um alinhamento com a missão, a visão e os valores. Há outros fatores que aumentam o engajamento da pessoa e potencializa seus resultados.

O principal deles é o que muitos chamam de brilho nos olhos. Trata-se do entusiasmo de uma pessoa com suas tarefas, uma alegria em fazer o que gosta e o orgulho que emerge ao entregar um bom trabalho. Brilho nos olhos. É não odiar a segunda-feira e vibrar com um projeto entregue ou uma meta alcançada. Colaboradores com brilho nos olhos fazem um trabalho melhor. Eu não tenho uma prova científica disso, mas não deve ser difícil de se obter. Mas me atrevo a dizer que a vida me ensinou que funciona assim. Por isso, não preciso de estatística alguma ou artigo publicado em algum veículo de respeito para ter essa crença. Eu simplesmente observei isso. Brilho nos olhos e qualidade estão sim relacionados.

Como? Se um colaborador gosta do que faz, vai querer conhecer mais sobre o assunto, pesquisar, aprender, ficar por dentro das novidades, compartilhar tal conhecimento com os colegas. E conhecimento é poder, não é? Pessoas entusiasmadas conseguem superar os problemas com mais facilidade. Muitas delas até vão gostar desses obstáculos, só pelo gostinho da realização de vencer cada um deles. Também posso citar o capricho. Esse tipo de colaborador tem orgulho de fazer direito, prestando atenção aos detalhes. Ah! Colaborador engajado joga em time. Contagia os colegas. E joga para vencer. Persegue as metas de forma comprometida.


Provocações finais

Brilho nos olhos é essencial? É suficiente para o sucesso? Consigo substituir a falta de brilho nos olhos por alguma coisa? Como eu consigo ter brilho nos olhos? E prover? É possível?




Comentários

  1. Ótima abordagem Beriam, concordo em gênero, número e grau quando diz que o colaborador com "Brilho nos Olhos" tende a desenvolver melhor e ter um engajamento maior, quanto aos que não estão na mesma equalização, ou é falta de comprometimento, ou a instituição apresentou algum valor do qual ele não quer fazer parte, como você mesmo disse uma palavra define tudo "time".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo feedback, Arlei. ainda vou escrever bastante sobre pessoas e sua importância no processo de desenvolvimento de software. Comentários, críticas, sugestões e cases são sempre bem vindos.
      Você gostou do post ter seu texto finalizado com uma lista de pontos a se pensar mais a respeito, ou prefere a forma mais tradicional, que converge para uma conclusão pronta?

      Excluir
    2. Acho que a forma para se pensar deixa um ar de quero sua opinião, gostei muito dessa forma.

      Excluir
  2. Obrigado! Continue acompanhando o blog. Vou publicar mais sobre diversos temas, mas sempre em torno do assunto qualidade de software.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Arquitetura em projetos de aplicações em nuvem - noções iniciais

Requisitos conflitantes e dilemas no projeto de software

Levantamento de requisitos